Categoria: Notícias

Por Sindipetro em 22/03/2018 16:04

Terceirização e SMS são temas da 2ª reunião de Acompanhamento de ACT 2018

9 horas 50 minutos - Atraso - Reunião de Acompanhamento ainda não começou. Direção da Federação Nacional dos Petorleiros aguardam o RH da Petrobrás.

A Federação Nacional dos Petroleiros (FNP), no início da semana, preparou e enviou, por meio de ofício, para o RH a pauta desta reunião. Confira, abaixo, a pauta completa.

TERCEIRIZAÇÃO
- Responsabilidade da Petrobrás acerca dos contratados;
- PPEDS e GTB e retirada a periculosidade;
- Lista de empresas contratadas. 

SMS
- Voos com problemas e riscos em plataformas; 
- Insegurança e violência em Pilões;
- Curso de NR20 que deve ser feito por EAD em local próprio, feito nas estações de serviços;
- Cipas nas Plataformas;
- Brigada de Incêndio (obrigatório);
- Subnotificação de acidente;
- Contestação de atestado; (pelos setores médicos da Petrobrás)
- Divulgação da análise de acidente no caso da morte na REDUC. 

10 horas - Reunião iniciada – FNP apresenta pautas da reunião que começou agora: responsabilidade da Petrobrás acerca dos contratados; – PPEDS e GTB e retirada a periculosidade; – Lista de empresas contratadas.

10 horas 5 minutos : Isonomia para terceirizados – Pagamento de periculosidade  em áreas de risco – FNP cobra a empresa pagamento de periculosidade para terceirizados que trabalham em áreas de risco, da mesma forma que os efetivos recebem.

10 horas 15 minutos: Treinamento de terceirizados – fiscais de contrato – é cobrada a qualidade de capacitação de terceirizados e fiscais de contrato que apresentam dificuldades no exercícios de suas atividades dada a complexidade dos serviços operados em unidades da Petrobrás, como refinarias. A redução salarial de terceirizados em situação de troca de contratos está sendo questionada pela FNP. Além disso, foi cobrado o uso do Fundo Garantidor para terceirizados, a Federação cobra utilização dos recursos para pagamentos de salários atrasados e rescisões para trabalhadores que não recebem de empresas prestadoras de serviços à Petrobrás.

Em resposta sobre a redução de salários, os representantes da companhia disseram, “a Petrobrás não tem ingerência sobre o pagamento dos salários do pessoal terceirizado”.

10 horas 40 minutos - Precarização e sucateamento de equipamentos –  FNP denuncia que empresas estariam utilizado equipamentos reaproveitados nas plataformas, em situação de operação por terceirizados, prestes a ocorrer a qualquer momento uma tragédia iminente, como no Tabg.

10 horas 52 minutos - Exposição ao benzeno – FNP cobra que empresas terceirizadas devem apresentar  PPEDS e GTB, e que essas mesmas empresas apresentem laudos que mostre  porque não  pagam periculosidade aos trabalhadores terceirizados.

11 horas 5minutos - Periculosidade – A direção diz que o conceito intramuros reflete o acordo coletivo entre petroleiros e Petrobrás. “Não sabemos  dizer se esse conceito se aplica aos terceirizados. vamos encaminhar essa situação para avaliação jurídica”.

11 horas 20 minutos - Redução de salários e aumento da jornada de terceirizados – Rafael Prado, diretor da FNP/Sindipetro-SJC, critica o fato dos terceirizados da Petrobrás sofreram mais um brutal ataque: redução de salários e aumento da jornada dos contratados.

Redução que já vinha ocorrendo desde a mudança de contrato em 2016, quando os salários foram cortados em 75%. Esses ataques aos direitos dos terceirizados também contribuem para a queda na qualidade dos serviços.

11 horas 38 minutos - Primeira parte da reunião termina. Segunda parte começará às 14 horas.

Diretores da FNP e do Sindipetro-RJ, repectivamente Luiz Mário e Brayer Grudka, fazem um resumo sobre a primeira parte da reunião desta quinta. Confira:

<iframe width="560" height="315" src="https://www.youtube.com/embed/kCWYllNE1so" frameborder="0" allow="autoplay; encrypted-media" allowfullscreen></iframe>

Outras da mesma categoria:

+ Ver Todas as Notícias