Categoria: Notícias

Por Sindipetro em 29/10/2019 12:28

Sergipe e Alagoas decidem manter rejeição da proposta do TST e recolocar greve nacional na ordem do dia

Direção do Sindipetro AL/SE está percorrendo todas as bases da unidade da Petrobras de Sergipe e Alagoas esclarecendo a categoria sobre a situação da campanha salarial e fazendo assembleias para ratificar a rejeição da proposta do TST que retira direitos. “Não podemos deixar esse governo retirar nossos direitos, vender ativos e continuar querendo entregar o petróleo e privatizar a Petrobras. Nós temos que ser solidários as unidades que estão fazendo greve”, afirma Edvaldo Leandro, diretor do sindicato.

Além de manter a retirada de direitos, a última proposta do TST exclui a base do Sindipetro RJ, que representa um terço dos petroleiros, das negociações. A direção do nosso sindicato e dos demais sindicatos da FNP exigem o retorno dos trabalhadores e trabalhadoras do Rio de Janeiro no processo de negociação em andamento.

Confira nota do Sindipetro RJ: Sobre o despacho do TST e por que não podemos assinar a proposta de ACT hoje (25)

A decisão que a direção do Sindipetro RJ tomou de não assinar o acordo permitiu que todos os sindicatos continuassem unidos na Campanha Salarial. “A primeira tarefa é garantir o retorno dos companheiros do Sindipetro RJ dentro do processo”, afirma o diretor da FNP, Rafael Prado. “Em seguida, derrotar essa proposta e reunificar a categoria dentro da greve nacional petroleira. Vamos apenas adiar a deflagração da greve e vamos juntos rejeitar essa proposta e deflagrar a importante greve para defender nossos direitos, contra o desmonte do sistema Petrobras”, conclui.

Por outro lado,  o indicativo da FUP (Federação única dos Petroleiros) de aceitação da proposta tem sido visto pela categoria como uma grande traição. “É responsabilidade de toda a categoria petroleira impedir que a FUP traia os trabalhadores, desmonte a greve e assine esse acordo. Chamamos os trabalhadores a se manter em assembleia permanente e construir a greve dos petroleiros. Também chamamos a direção das federações e dos sindicatos que permaneçam construindo a mobilização em solidariedade aos trabalhadores da REGAP que estão em greve desde sábado, 26”, afirma Gilvani Alve, diretora do Sindipetro AL/SE.

Nesta quarta-feira, 30, a direção da FNP realizará nova reunião para decidir os próximos passos. “Precisamos manter a mobilização constante. Fazendo paralisações, mobilizações, corte de rendição, fazendo o que precisa ser feito pra defender nossos direitos e a Petrobras”, conclui Gilvani.

Informe da direção do Sindipetro AL/SE após reunião na noite desta segunda-feira (28/10):

Assembleia no Tecarmo dia 28/10:

Sindipetro AL/SE na Sede da Rua Acre dia 28/10:


Assembleia em Carmópolis dia 29/10: 




 


 

Outras da mesma categoria:

+ Ver Todas as Notícias